Ivan Antonio

memória e gratidão

Esta página é dedicada a queridos amigos, artistas, grupos e cidades que conheci em vários cantos do mundo, e a todas as pessoas que diretamente ou indiretamente contribuíram para a construção do Teatro da Solidão Solidária e me fizeram acreditar no meu sonho de ser um artista e um cidadão a serviço do mundo.
Gratidão!
Há braços!




Ivan Antonio



RACHEL DE QUEIROZ

LUIZ CARPACCI

Durante o voo de São Paulo para o Rio, eu ficava me perguntando: – O que vou dizer pra ela? No aeroporto pegeui um taxi e fui logo puxando conversa com o taxista -- Você conhece Rachel de Queiroz? Respondeu que sim e me perguntou: Você é Flamengo ou Fluminense? Disse a ele, que quando stava na Bahia eu era Vasco, quando eu estava no Rio eu era Vitória e assim ninguém brigava comigo , ele me olhou pelo retrovisor, riu, e antes que perguntasse outra coisa emendei: Você já leu “O quinze”? Acenou a cabeça que não e foi logo dizendo , não sou nenhum um dos dois, sou Botafogo... a estrela solitária. Percebi que o negócio dele era futebol mas não me dei por vencido e tentei unificar a conversa citando Nelson Rodrigues : – Já leu as crônicas de Nelson Rodrigues? Desta vez ele nem se quer me olhou então eu abri a guarda; Sabia que ele adora futebol? Ah, então ele deve ter visto Garrincha jjogar, o "Pernas tortas" era genial, foi melhor que o Pelé, podes crer...  O taxi parou de frente ao prédio que Rachel morava, me despedi do meu quase novo amigo, minhas pernas tremiam, e não tinha conseguido ensaiar nada para lhe perguntar, nem no avião e nem no taxi...

Parecia uma menina, magrinha e os olhos cheios de ternura, sentou-se na rede e quis saber sobre o meu teatro, tentei conter as lágrimas mas não consegui e disse que o meu teatro era um teatro em construção e achava que ia ser assim até o fim. Perguntou se eu não tinha medo de dormir nas ruas, respondi que sim e ela perguntou: E por que vai? Eu não sei, respondi…ela segurou nas minhas mãos e apertou, em seguida autografou o “Quinze” e me entregou... me desejou sorte na montagem e que enviava a autorização por escrito pelo correio...

Ah, por último lhe contei como seria a concepção da minha montagem com a obra dela, contei detalhes e nunca vou esquecer das suas generosas e sábias palavras:

Ivan! Vai ser assim???? Olha, eu tenho mais de 90 anos mas sou muito mais lúcida que você.entregou…me desejou sorte na montagem e que enviava a autorização por escrito pelo correio...

Duas semanas depois ,chega uma carta pra mim. Era a autorização dela para que eu adaptasse e montasse “O QUINZE”.

Obrigado Rachel de Queiroz! Onde estiver, dai-me tuas bênçãos , abençoa os atores , produtores, técnicos e apoiadores, Vou dar o melhor de mim para que você goste e fique feliz quando estrear nossa peça.


Foto: Ivan e a escritora Rachel de Queiroz em sua casa, no Rio de Janeiro.